fbpx

De 19 a 22 de junho, 250 jovens delegados de 109 países se reuniram em Roma para o Fórum Internacional da Juventude, onde foi discutido o futuro do engajamento jovem na Igreja. O encontro se seguiu à publicação do Christus Vivit, uma exortação apostólica aos jovens, em abril de 2019, como uma resposta do Papa Francisco ao Sínodo composto por 300 bispos, líderes leigos e religiosos de todas as partes do mundo.

Como as observações do Papa à juventude deixou claro no Fórum, muito do que ele escreveu há quatro anos na Laudato Si’ foi enfatizado com maior urgência no Christus Vivit. De fato, com mais jovens clamando por justiça ambiental e climática, o Christus Vivit caminha lada a lado com o chamado à ação da Laudato Si’. “Amigos, não espereis pelo dia de amanhã para colaborar na transformação do mundo com a vossa energia, audácia e criatividade… vós sois o agora de Deus, que vos quer fecundos” (CV 178).

Para os jovens, a mensagem do Papa Francisco é clara: “Cristo vive!” e isso muda tudo. Com a “garantia de que o bem pode triunfar”, sabemos que “nossas fadigas servirão para qualquer coisa” (CV 127). Isso nos faz lembrar da alegria de São Francisco, que viveu, respirou e se alimentou do bem da Criação à sua volta.

Durante o Fórum, o Papa também lançou um desafio aos 250 delegados presentes e aos jovens de todas as partes do mundo: “Continuai a vencer a apatia, dando uma resposta cristã às inquietações sociais e políticas [e ambientais!] que estão surgindo em várias partes do mundo” (CV 174). “[O Senhor] pensou em vós, jovens, como seus instrumentos para irradiar luz e esperança, porque quer contar com a vossa coragem, frescor e entusiasmo” (CV 177).

Se quisermos viver numa casa comum curada e pacífica, a Igreja precisa acompanhar os jovens enquanto caminhamos juntos como guardiões, irmãos e irmãs, de uma família comum. Como o Papa Francisco diz: “não “olheis da sacada” a vida, entrai nela” (CV 174). É chegada a hora de sair e fazer parte da cura deste mundo!

Luke Henkel, membro da Geração Laudato Si’